quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Os Abusos Vividos na Amazon

Os Abusos Vividos na Amazon

CEO da Amazon Jeff Bezos recusa a imagem de empresa “sem alma" e pede que trabalhadores reportem abusos, após reportagem.

Os Abusos Vividos na Amazon

O pedido de Jeff Bezos aos trabalhadores surge após uma reportagem publicada pelo The New York Times onde a Amazon é descrita como uma empresa onde os funcionários são sujeitos a grande pressão, incentivados a ultrapassar os seus limites e até fazer queixas dos colegas anonimamente.

"O artigo [do The New York Times] não descreve a empresa que eu conheço", escreveu Jeff Bezos numa nota enviada aos trabalhadores e publicada pela Geek Wire. O CEO da Amazon incentivou os trabalhadores a ler a reportagem publicada pelo The New York Times e pediu que quem "tiver conhecimento de situações como as reportadas", que informe os recursos humanos ou envie um email direto para o próprio Bezos.

O patrão da Amazon diz que o jornal "descreve práticas de gestão chocantemente insensíveis", e que a tolerância da empresa para este tipo de práticas "tem de ser zero".

"O artigo vai mais longe", diz Bezos, ao afirmar que a Amazon "cria intencionalmente um ambiente de trabalho sem alma, distópico, onde não há diversão e não se ouvem risos".
Os Abusos Vividos na Amazon
A reportagem publicada pelo jornal norte-americano a 15 de Agosto, onde afirma que a empresa "está conduzindo uma experiência sobre o quão longe consegue levar os trabalhadores de colarinho branco para alcançar as suas ambições em constante expansão".

"Na Amazon, os trabalhadores são encorajados a destruir as ideias dos outros em reuniões, a trabalhar longas horas (e-mails chegam depois da meia-noite seguidos de mensagens de texto onde se questiona porque não foram respondidos)", e que mantenham o padrão 'inadmissivelmente alto' do qual a 'empresa se orgulha'.

"Alguns trabalhadores que sofreram de cancro, abortos e outras crises pessoais disseram que foram avaliados injustamente ou eliminados em vez de terem tempo para recuperar", escreve ainda o jornal.
.