segunda-feira, 21 de abril de 2014

Argentina cria lei para proibir protestos

Cristina Kirchner prepara lei para proibir protestos.
 
Projeto de lei faz distinção entre manifestações 'legítimas' e 'ilegítimas'. Até deputados kirchneristas criticaram o texto.
 
Com o apoio da presidente argentina Cristina Kirchner e de seu chefe de gabinete Jorge Capitanich, um grupo deputados governistas apresentou um projeto de lei para limitar "todas as manifestações públicas" e ativar o "uso da força" contra os protestos, reporta o jornal Clarín nesta quinta-feira. O texto foi redigido pelo deputado Juan Manuel Pedrini, um ex-ministro do governo.

A iniciativa confirma o rumo autoritário tomado pelo governo após a intensificação de greves, manifestações e piquetes contrários à política econômica ditada pela Casa Rosada.

A população argentina está insatisfeita com a inflação alta, o controle cambial e a desvalorização do peso, que mina o poder de compra das famílias.

"Há uma colisão entre os direitos, o de protestar e o de ir e vir da população. Não vamos criminalizar o protesto, devemos regulamentá-lo”, disse o deputado Pedrini.
.